Sal

O princípio por trás deste sistema é a electrólise do sal, que transforma as partículas de sal num esterilizante que elimina as bactérias, as algas, os parasitas e todos os organismos prejudiciais à qualidade da água. Sob a acção do sol, o esterilizante volta a transformar-se em sal, fazendo com que o ciclo se reinicie e que o sal não necessite de ser constantemente reposto.

Funcionamento

A transformação é feita através de um eléctrodo composto por placas de titânio, cuja produção pode ser doseada de acordo com as necessidades e condicionantes de cada piscina, como por exemplo o uso ou a exposição solar a que a piscina está sujeita.

Doseamento de Sal

A quantidade de sal que é diluída na água da piscina é de 5 kg por cada mil litros de água, sendo portanto cerca de 7 vezes inferior à quantidade existente na água do mar. Obtém-se uma água levemente salgada, incapaz de causar os incómodos de um banho de mar, como os resíduos de sal na pele e na roupa.

Facilidade

Os aparelhos de sal podem ser instalados em qualquer sistema de filtragem. Apenas é necessário instalar um vaso em PVC translúcido onde é colocado o eléctrodo. O aparelho de sal pode ser utilizado independentemente do tipo de piscina ou do revestimento existente.

Economia

Apenas se efectuam recargas de sal no início da época para compensar a descida do nível causada pelas perdas de água resultantes da utilização da piscina. O aparelho consome pouca energia, o equivalente a uma lâmpada. Adicionalmente, deixa de ser necessário utilizar outros produtos químicos.

Vantagens

  • A quantidade de desinfectante está perfeitamente controlada e estável.
  • Evita o cheiro a cloro.
  • Banhos prolongados deixam de ser um problema pois a água deixa de irritar a pele e os olhos.
  • Deixa de precisar de armazenar produtos químicos, que se podem tornar perigosos quando mal manuseados.
Aparelho de electrólise de sal para tratamento da água das piscinas sem recurso a cloro